Páginas

A falácia da comparação

Postado por Soninha | | Posted On sábado, 21 de março de 2009 at 08:16

Os homens não se conhecem uns aos outros com facilidade, ainda que ponham nisso o melhor da sua vontade e das suas intenções. Porque há que contar sempre com a má vontade que tudo distorce.

Conhecer-nos-íamos melhor uns aos outros se não estivéssemos sempre a querer comparar-nos uns com os outros. Decorre daí que as pessoas fora do vulgar ficam em pior situação, porque, como as outras não chegam a poder comparar-se com elas, tornam-se alvo de demasiada atenção.

Johann Wolfgang von Goethe, in 'Máximas e Reflexões'

A democratização da mídia... na Argentina

Postado por Soninha | | Posted On sexta-feira, 20 de março de 2009 at 09:31

Está no Blog do Miro e eu indico:

Numa atitude ousada e corajosa, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, resolveu enfrentar a ditadura midiática. Enviou ao parlamento um projeto de lei dos serviços de comunicação social para substituir a lei da radiodifusão imposta pelo regime militar (1976-1983). Ao anunciá-lo, ela afirmou que o projeto “é uma dívida da democracia”. Conforme explicou, a lei é “para que todos possam pensar por si mesmos e não como indicam uma rádio ou um canal de televisão... Os bens de caráter social não podem ser monopolizados por um setor ou por uma empresa que acreditam ser os donos da expressão de todo um povo”. Cristina Kirchner parecia se referir ao Brasil!

Clique aqui e leia mais.

Por onde andará a Rô?

Postado por Soninha | | Posted On at 08:35

Fazem, seguramente, 10 anos que não vejo uma grande amiga, de quem morro de saudade: a Rô.

Lembro da Rosane como uma mulher linda. Daquelas que os homens quase quebram o pescoço, sabes?

Nos conhecemos havia pouco tempo que eu morava em Porto Alegre. Quando fui morar numa pensão para moças, na Av. João Pessoa. Tempos difíceis. Eu já morava a algumas semanas naquele lugar e também já tinha feito amizade com a Cláudia, quando chegaram, vindas de Guaíba, uma dupla bem agitada: Rosane e Sônia Neves (a gente sempre se referia ao sobrenome dela, para diferenciar de mim).

As duas eram bonitonas. Rosane era morena clara, com um cabelão cacheado e um sorriso que lhe tomava o rosto inteiro. Sônia Neves, uma negra com um corpaço, olhos puxados e um nariz arrebitado que lhe davam ares de altivez. Logo as duas amigas Sônia Neves e Rosane se juntaram a mim e Cláudia. Formamos um quarteto daqueles.

Saíamos muito, aprontávamos todas.

Sônia Neves foi a primeira a se afastar de nós. Voltou para Guaíba onde era professora de educação infantil. Ficamos as três. E, quando resolvemos nos mudar, fizemos juntas. Fomos morar na Lima e Silva. Dessa vez alugamos um quarto para que nós pudéssemos permanecer juntas. Mas o lugar tinha problemas que foram nos desanimando da permanência ali.

Cláudia, desempregada e com diversos outros problemas familiares resolveu voltar para sua terra natal: Santa Cruz do Sul. Eventualmente nos vemos. Ela me visitou no ano passado. Por sua vez, Rô enveredou por um caminho tortuoso e, decidimos então procurarmos novas moradias. Digo novas, pois não encontrávamos lugar onde as duas pudessem permanecer juntas.

Então eu fui dividir apartamento com outras gurias (Bia e Silvana) e Rô foi dividir apartamento com Gláucia. Pouco tempo depois, cada uma de nós alugou o seu próprio cantinho. Ainda assim, continuávamos nos vendo e saindo juntas frequentemente. Com o tempo, as nossas saídas tornaram-se mais espaçadas.

Foi quando me mudei para a Rua José do Patrocínio, num apartamento que foi arrombado por bandidos e me causou grande trauma. Por isso, resolvi mudar para o interior. Foi quando nos vimos pela última vez. Ela me visitou, junto com Sônia Neves, naquele lugar. As duas estavam morando em Guaíba.

Minha mudança para o interior fez com que perdêssemos completamente o contato. Às vezes, Sandro Ferraz e eu falamos sobre essa minha amiga de sorriso largo, de um astral fantástico e de uma beleza ímpar.

Dia desses pesquisei pela internet, tentando localizá-la. Em vão.

Tenho muita saudade da Rô e sonho poder abraçá-la novamente. Essa foi uma irmã que tive, que tenho. Que sempre terei carinho e amizade.

Vasectomia

Postado por Soninha | | Posted On quinta-feira, 19 de março de 2009 at 11:30

A vasectomia é um procedimento cirúrgico rápido, simples e um método de contracepção muito seguro.

Ontem, no Ambulatório do Hospital Vila Nova, havia exatamente uma dúzia de homens para efetuar o procedimento. Oito deles estavam acompanhados de suas esposas.

Me chamou a atenção a fragilidade deles, que foram educados para serem os "fortões". Era visível o nervosismo que tentavam disfarçar com brincadeiras entre si.

Apesar disso, tiro o chapéu para os 12 que lá estavam, pois muitos homens se recusam a fazer essa cirurgia porque imaginam que ela possa provocar distúrbios de ereção, no que estão completamente enganados. A vasectomia torna o homem estéril, mas não interfere na produção de hormônios masculinos nem em seu desempenho sexual.

É interessante notar que grande parte dos homens brasileiros não se incomoda que suas mulheres façam laqueadura das trompas (uma cirurgia mais invasiva), mas foge da vasectomia como o diabo da cruz.

Fim do mundo

Postado por Soninha | | Posted On at 09:02

Todos os dias nos deparamos com novas notícias de catástrofes, de violência, de uma atitude de políticos ou de empresários que mudam (para pior) a vida das pessoas.

Todos os dias o aquecimento global provoca novas chuvas e arruínam milhares de famílias.

Todos os dias se forma um novo tornado, ou a seca castiga plantações.

Riscos existem. Estão aí. De fato ou por simples tentativa de pressão psicológica e jogo de palavras de uma agressividade defensiva. É só saber distinguir a realidade da fantasia, do desejo.

Por mais que alguns queiram acabar com teu mundo, com mensagens subliminares e previsões apocalípticas, ele continua aí. Não é o fim do mundo.

Ainda!

Viva Porto Alegre

Postado por Soninha | | Posted On terça-feira, 17 de março de 2009 at 14:34

Na semana dos 237 anos de Porto Alegre muitas atrações para comemorarmos a data. Entre elas, Nando Reis, Ana Cañas e Tenente Cascavel, no anfiteatro Pôr do Sol, com entrada franca, no domingo, 22 de março, às 17h.

Veja a programação musical completa da semana de Porto Alegre:

21 de março - Sábado
USINA DO GASÔMETRO - PRAINHA - 17h
Charles Master & Tonho Crocco
PRAÇA DA ALFÂNDEGA - 17h
Beth Krieger e Luizinho Santos - Nelson Coelho de Castro & Mônica Tomasi - Vitor Ramil
PARCÃO - 17h
The Hard Working Band
PARQUE MASCARENHAS DE MORAES - 17h
Cristiano Quevedo - Alexandre Poeta - Alô Paixão
ILHA DA PINTADA - 17h
Rasta Fúria - Escola de Samba da Ilha - Exposições - Palestras - Filmes
MUSEU JOAQUIM FELIZARDO
Porto Alegre em Imagens: Seis Décadas de Transformações na Capital - 10h
Uma História Virtual de Porto Alegre - com Charles Monteiro - 17h

22 de março - Domingo
PARQUE DA REDENÇÃO – 10h
Banda Municipal (concerto especial com os intérpretes) - Frank Solari - Felipe Azevedo - Ângelo Primon - Plauto Cruz
Programação do Aniversário do Brique - das 12h às 16h
Natassia - Padikau - So Creedence - Crocodilo Junkie - Meu Amigo Elvis - The Trevellers - Barba Ruiva e os Corsários - Bebeto Alves (17h) - Paralelamente Tablado com Danças Gaúchas
Dança de Domingo (ainda sem programação fechada)
PRAÇA DA ENCOL - 17h
Nei Van Sória
PRAÇA MÉXICO - 17h
Táxi Drive
Alvo do Sistema
BELÉM NOVO - 17h
Julio Reny
Rádio Stereo
ANFITEATRO POR DO SOL – 17h
Tenente Cascavel - Nando Reis (convidada Ana Cañas)
"Festa na Santo Alfredo - Banca Forte da Paineira"
Local: Rua Santo Alfredo, 630, Morro da Cruz, Partenon
Das 15h às 21h
Grupo Entrada Saída - Cria d Favela - Quinteto - Proletários Mc"s - Slot - Família Cifrão - G.D.L - Funk Rusk - Sem Neuroze - Cris Pagode - Gurizada do Samba - Flash Boys - Pesadelo - Mariéti Fialho - Nitro Di - B. F. P.

Sábado - 28 - 21h
PARQUE DA REDENÇÃO
Baile da Cidade
21h - Banda Municipal e Grupo de Dança Cadica Borghetti
22h - Companhia Show 4
1h - Kako Xavier, Rafael Brasil, Andrea Cavalheiro, Rosa Franco e banda

Domingo - 29 - das 15h às 21h
Dez bandas, feira, arte e cinema sobre a cultura Rock
Local: Manara - Av. Goethe 200
Ingresso: 1kg de alimento não-perecível
Bandas: Al Caphones, Andina, Apanhador Só, Clã Macloud, Frank Jorge, Laranja Freak, Redoma, Subtropicais, Suco Elétrico, Walverdes

Dia de Chuva

Postado por Soninha | | Posted On at 09:08

As espumas desmanchadas
sobem-me pela janela,
correndo em jogos selvagens
de corça e estrela.

Pastam nuvens no ar cinzento:
bois aereos, calmos, tristes,
que lavram esquecimento.

Velhos telhados limosos
cobrem palavras, armários,
enfermidades, heroísmos...

quem passa é como um funâmbulo,
equilibrado na lama,
metendo os pés por abísmos...

Dia tão sem claridade!
só se conhece que existes
pelo pulso dos relógios...

Se um morto agora chegasse
àquela porta, e batesse,
com um guarda-chuva escorrendo,
e com limo pela face,
ali ficasse batendo

- ali ficasse batendo
àquela porta esquecida
sua mão de eternidade...

Tão frenético anda o mar
que não se ouviria o morto
bater à porta e chamar...

E o pobre ali ficaria
como debaixo da terra,
exposto à surdez do dia.

Pastam nuvens no ar cinzento.
Bois aéreos que trabalham
no arado do esquecimento.

Cecília Meirelles

Codilho

Postado por Soninha | | Posted On at 07:11

Até curto período eu valia ninharia. Hoje sou meritória! Não é adventício? A quem pensam embair?

De novo o Pontal do Estaleiro

Postado por Soninha | | Posted On segunda-feira, 16 de março de 2009 at 17:51

Novamente a polêmica do Pontal do Estaleiro voltou à Câmara Municipal.

O Prefeito, que no início falou em plebiscito e que foi elogiado por mim, nesse blog, encaminhou para a Câmara uma proposta de "consulta popular", que tem uma porção de diferença jurídica.

Conversa pra boi dormir, Prefeito.

Como diz a Paulinha: "Não me engane, não!".

Foto do meu amigo: Elson Sempé Pedroso

Cala a boca, Galvão!

Postado por Soninha | | Posted On at 17:35

A Globo está procurando um sucessor para Galvão Bueno. A notícia é assinada por Ricardo Feltrin, colunista do UOL.

As torcidas agradecem e clamam para que isso ocorra logo. A notícia não é mais animadora porque diz que ainda teremos que aguentar as bobagens de Galvão Bueno até a Copa de 2014.

Segundo a matéria, a Globo procura alguém de talento oculto e latente. Imagino que quando fala em talento, se refira a alguém diferente do Galvão.

E eu indico o Latino. Talentosíssimo!

Leia a matéria: clique aqui

Brasilia nunca mais será a mesma?

Postado por Soninha | | Posted On at 13:10

Li que o deputado Clodovil Hernandes sofreu mais um AVC e está em estado grave.

Lembrei do período que circulei pelo quarto andar do anexo IV da Câmara dos Deputados, de ter assistido perplexa a reforma luxuosa que o deputado fez em seu gabinete, daquele jovem rapaz servindo de segurança na porta do seu gabinete e de assistir, mais perplexa ainda, um de seus assessores sendo subjugado, humilhado por ele na saída do elevador.

Lembrei também da campanha de Clodovil que afirmava que depois dele, Brasilia nunca mais seria a mesma.

Da campanha às atitudes de deputado tem uma distância enorme. Depois que a máscara cai, já era!

Vi muita coisa por lá.

Sou caipira pirapora

Postado por Soninha | | Posted On at 09:03

Quem disse que não tem nada de bom na TV brasileira, especialmente aos domingos?

Não é comum, mas nesse domingo acordei, relativamente, cedo. Resolvi bater um bolo e, enquanto isso liguei a televisão e sintonizei na TVE, como sempre faço quando acordo cedo no domingo. Existem dois programas que considero muito bons. Um na sequência do outro.

Eu cresci ouvindo música caipira e moda de viola. Pena Branca e Xavantinho, Tonico e Tinoco, Tião Carreiro e Pardinho, entre outros, faziam parte da discoteca do meu pai, que ouvia religiosamente todos os dias seus discos "long play's".

Achava horrível, pois mesmo criança e, principalmente, adolescente é bastante influenciada pelos modismos musicais. Com destaque para a música norte-americana. Eu gostava mesmo era de um disco do Alice Cooper que a tia Be tinha (acho que ainda tem), que continha a música "I never cry", mesmo sem ter a mínima idéia do significado da letra.

Além disso, lembro que a capa do disco era verde, com Alice Cooper no mais perfeito estilo heavymetal. E eu era uma rebelde sem causa...

Com o passar dos anos comecei a conhecer e tomar gosto pela música brasileira. Fui me apaixonando por diversos nomes da MPB, com destaque para João Bosco.

Na minha opinião o melhor e mais completo. Bosco é cantor, instrumentista, compositor e com um estilo absolutamente próprio e inconfundível. O máximo.

Acontece que quem realmente admira as coisas do Brasil, inevitavelmente, se confronta com a música regional, produzida com maestria, nos diversos cantos do país.

Assim conheci também Xangai, Elomar, Vital Farias, Paulinho Pedra Azul, Francisco Aafa, Teca Calazans e uma infinidade de grandes nomes.

Indo mais longe, nos deparamos com quem? Com os músicos que embalaram a minha infância e que, por falta de ouvido musical, ou simplesmente preconceito eu não conseguia perceber a beleza daquele dedilhar de viola.

Aprendi a apreciar a música pelo agrado que ela me faz aos ouvidos. Eu não entendo nada de notas musicais, partituras e o escambau. Mas sei perfeitamente quando uma música é bem tocada, quando seu sons têm harmonia. O Sandro Ferraz, que é músico, sempre diz que eu sei ouvir música. Acho que é verdade.

E, nesse domingo que passou, assisti ao Viola Minha Viola, apresentado por Inezita Barroso e Senhor Brasil, apresentado por Rolando Boldrin. Ambos resgatam essa música chamada de caipira, que eu prefiro chamar de brasileira. Essencialmente brasileira.

Inezita recebeu em seu programa Renato Teixeira e seu filho Chico Teixeira (que tive o prazer de assistí-los num espetáculo no Teatro da CEF, em Brasília) e Milionário e José Rico. Já Rolando Boldrin, recebeu Almir Sater.

Há o que contestar?

Meu domingo musical foi perfeito.


Teoria do caos (efeito borboleta)

Postado por Soninha | | Posted On domingo, 15 de março de 2009 at 07:02

Um simples bater de asas de uma borboleta pode provocar um tornado?

Um tornado provocado por um simples bater de asas de uma borboleta, não teria acontecido ou poderia se formar sem sua influência?