Páginas

A Cartomante

Postado por Soninha | Marcadores: | Posted On sábado, 14 de abril de 2012 at 22:40

Ela queria saber o que iria acontecer, afinal de contas, com aquela confusão que tomava conta do seu coração e, principalmente, da sua vida.

O anúncio era tentador: "Sou taróloga, dou consulta de cartomancia, aconselhamento espiritual e lhe apresento claramente seu futuro".

A confusão só fez aumentar.

A cartomante lhe disse que entre eles havia a ardência da paixão. Havia a intensidade completa da volúpia. Havia também a magnitude do amor.

Mas e o futuro?

Viva o hoje. Viva um dia de cada vez. Viva como se fosse morrer amanhã.

E sentenciou: As cartas não mentem. Jamais!

Porto dos Casais

Postado por Soninha | Marcadores: , , , , , , | Posted On quarta-feira, 11 de abril de 2012 at 23:56

Se tu queres ir para o Mercado, para o Gasômetro, para a praça da Matriz ou da Alfândega, para Santa Casa, para a Casa de Cultura, para o Correio do Povo... Todos os caminhos passam pela Rua da Praia... Borges, Marechal, Uruguai, Dr. Flores, Caldas Jr, General Câmara.

Todo o portoalegrense se vê na Andradas: os da Restinga, Sarandi, Vila Nova, Partenon, Cidade Baixa, Cristal, Rubem Berta, os que querem e os que não querem se encontrar.

Poderia ser na Esquina Democrática, mas é na Rua da Praia com a Rua da Ladeira que a gente se depara e segue – amantes - pelo Porto dos Casais.

Filha de Iansã

Postado por Soninha | Marcadores: , , , , , , , , , , , , , , , | Posted On at 21:55

É filha de Iansã
Epaheyô Oyá
Moça guerreira
Não foge da luta
Acorda bem cedo
Dá um rodopio
Beijinho nos filhos 
E já vai trabalhar
É da ventania
É de guerrear
No amor ela é raio
Mulher sensual
Sacode a saia
Faz um reboliço
É filha de Iansã
Epaheyô Oyá

Jussara Cony guerreira de Porto Alegre

Postado por Soninha | Marcadores: , , , , , | Posted On terça-feira, 10 de abril de 2012 at 22:24

Hoje, mais uma vez, a guerreira Jussara Cony deu prova do seu incalculável valor comunista. Recebi um e-mail desta combatente descrita por Bertold Brecht como imprescindível e fiquei absolutamente entusiasmada com a abnegação revolucionária que, desde 1986, quando ingressei nas fileiras do PCdoB, me inspiram.

Em sua mensagem, Jussara comunica sua decisão de deixar de ser titular da Secretaria de Meio Ambiente do RS, em nome do projeto do Partido na capital gaúcha, liderado pela candidatura de Manuela D'Avila à prefeitura. Jussara deverá ser confirmada como candidata à vereadora da minha amada Porto Alegre. “Busco, assim, o retorno à Câmara Municipal, onde iniciei minha trajetória política, com as mesmas convicções e ideais, contribuindo para a construção de uma cidade mais avançada que garanta a dignidade de todos que aqui  vivem", diz Ju.

Jussara dá mais uma importante demonstração de que compreende na prática o significado da palavra coletivo. E, em seus quase 70 anos, confirma um arrebatamento e uma energia juvenil ímpar.

A despeito de qualquer divergência que tenhamos tido, ao longo destes 26 anos de militância, ressalta-se apenas a admiração, respeito e camaradagem. Não que nos seja necessário, mas posso dizer, com toda tranquilidade que soma-se a tudo isso o carinho e a minha mais sincera amizade.

Um grande beijo no teu coração, Vereadora Jussara Cony e, na medida das minhas possibilidades, por estar distante do nosso querido e alegre Porto, conte comigo nesta nova empreitada. Tua vitória será a vitória do nosso amado povo.

Batalha improfícua

Postado por Soninha | Marcadores: | Posted On segunda-feira, 9 de abril de 2012 at 21:17

A decisão era bem simples: tinham que seguir caminhos diferentes. Não poderiam mais andar juntos, pois a proximidade entre eles era a junção de fogo e pólvora. Somado a isso, havia uma dúvida que habitava cada coração.

Mantiveram-se distantes, calados, imóveis. Qualquer movimento na direção de um ao outro poderia ser fatal, irreversível, perigosa. Sabiam disso.

Não poderia haver um só sinal que os achegasse.

Pois bem, o fizeram. Resistiram. Persistiram. Combateram contra seus desejos. Lutaram contra seu coração. Afrontaram o desejo.

O problema é que existem coisas que vão além da vontade humana. A estrada que percorriam em direções opostas era no formato circular. Encontraram-se. Explodiram.

O amor se sobrepôs.